Conheça Itaperuna - Itaperuna Notícias

Últimas

Post Top Ad

Conheça Itaperuna


A região de Itaperuna foi desbravada por José de Lannes Dantas Brandão a partir de 1829, após sua deserção da milícia do Exército. Ao chegar nessa região em 1834, se estabeleceu num lugar que foi denominado Porto Alegre. Pelos serviços de colonização prestados à Coroa, com o advento da economia cafeeira foi perdoado, tendo sido morto por seus escravos em 1852.

Em 24 de novembro de 1885 por decreto de nº 2.810, eleva a freguesia de Nossa Senhora da Natividade de Carangola (um dos primeiros nomes da cidade) à categoria de Vila de Itaperuna, levando esse nome por ser passagem para se chegar a Pedra do Elefante, localizada em Carangola, estado de Minas Gerais. Em 1887, foi criada a freguesia de São José do Avaí, nome em homenagem às Armas Brasileiras na Guerra do Paraguai. Foram doados 15 alqueires de terra para patrimônio dessa Vila pelo Sr. Jayme Porto e Senhora.

Em 10 de maio de 1889 foi feita a primeira eleição para a Câmara dos Vereadores, sendo a vitória dos Republicanos, que tomaram posse no dia 4 de julho do mesmo ano, sendo portanto a primeira Câmara republicana do país, em pleno regime monárquico, regime esse que viria a ser desbancado pelo Marechal Deodoro.

Em 6 de dezembro de 1889 foi a vila de São José do Avaí transformada em município de Itaperuna, sendo criada sua respectiva Comarca.


A cultura cafeeira foi um grande destaque na economia da cidade por mais de quatro décadas, tornando-a em 1927 a maior produtora nacional.

Do território original do município de Itaperuna foram desmembrados outros seguintes: Bom Jesus do Itabapoana em 1938, Natividade e Porciúncula em 1947 e Laje do Muriaé em 1962, ficando Itaperuna com seu atual contorno.

Geografia de Itaperuna




Itaperuna recebe as águas do rio Muriaé e do rio Carangola. O rio Muriaé nasce no município de Miraí, na Zona da Mata Mineira, e deságua no rio Paraíba do Sul, nas proximidades do município de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro. Apresenta 250 km de extensão e tem como principais afluentes os rios Glória e Carangola. O rio Carangola, com 130 km de extensão, nasce no município de Orizânia, também na Zona da Mata Mineira, e deságua no rio Muriaé, dentro da sede do município de Itaperuna.

No município de Itaperuna destacam-se duas unidades de relevo: a primeira está ligada a antigas superfícies cristalinas e a segunda é constituída pelas planícies aluviais intermontanas.

O território municipal participou dos processos morfogenéticos que envolveram o Sudeste brasileiro e, portanto, as superfícies cristalinas sofreram fases sucessivas de levantamento e fraturamento, dando origem aos patamares cristalinos. Os processos erosivos comandados pela rede de drenagem local desgastaram gradativamente o terreno, originando vales encaixados nas linhas de falhas, morros rebaixados e arredondados e baixadas, ora largas, ora estreitas.

Nesse sistema morfogenético, o município de Itaperuna caracteriza-se por um relevo ondulado, com ausência de escarpas íngremes e vales em constante aprofundamento e alargamento, embora em áreas de pequeno declive.

Dados e Curiosidades de Itaperuna




Itaperuna é um município brasileiro, localizado na Região Noroeste do Estado do Rio de Janeiro.

*Aniversário:
10 de maio

*Fundação:
10 de maio de 1889

*Gentílico:
itaperunense

*População:
Média de 120.000 habitantes
Média de 82.650 Eleitores

*Área:
1.118 Km²

*Altitude:
108 metros

*Distância até a capital:
316 km

*Clima:
Tropical úmido com variações:
Mínima. entre 16 a 12º c
Média. 22º c
Máxima. entre 24 a 42º c

Curiosidades:


A origem do nome “Itaperuna” vem das tribos indígenas tupi guarani, que habitavam a região, e significa “Caminho da Pedra Preta” (Ita = Pedra + Per = Caminho + Una = Preta).

Primeira Câmara do Brasil com maioria Republicana no regime de Monarquia

Eleição: 10/05/1889
Instalação: 04/07/1889

Itaperuna possui a 2ª maior réplica da estátua do Cristo Redentor do Brasil, com 20 metros de altura. O imponente monumento encontra-se no Morro do Cristo, o ponto mais alto do perímetro urbano da cidade, seu acesso é fácil, basta seguir qualquer uma das vias transversais a principal avenida da cidade, a Cardoso Moreira. Inaugurado em 10 de Maio de 1966, o responsável pelo projeto do Cristo foi o escultor capixaba Antônio Francisco Moreira. A iniciativa e desenho foi idealizada por Cláudio Cerqueira Bastos, mais conhecido como Claudão.

Devido ao fato de se encontrar entre vales, Itaperuna é conhecida por ter o clima mais quente do estado do Rio de Janeiro, ela tem a máxima de 43°C resgistrada pelo IBC (Instituto Brasileiro de Climatologia).

Na Região Central localiza-se um longo calçadão caracterizado por ter o formato de uma serpente, o atual calçadão era, no passado, uma grande linha de trêm.

Visitas Ilustres em Itaperuna:


D. Pedro II – Este Município foi honrado com a presença do Sr. D. Pedro II, Imperador do Brasil, em 1883, por ocasião da inauguração dos serviços da Estrada de Ferro Carangola. Sua Majestade foi hóspede da família Santos Silva, na fazenda São Domingos; do Comendador José Cardoso Moreira, em Itaperuna e do Major Manoel Ferreira Barbosa, em Retiro do Muriaé (distrito de Itaperuna).

Santos Dumont – Santos Dumont, o “Pai da Aviação”, como é conhecido em todo o mundo civilizado, genial patrício que equacionou a estática do mais pesado que o ar, descobrindo a navegação aérea, também esteve neste Município, por volta de 1895, hóspede da fazenda de São Domingos, de cujos proprietários – família Santos Silva – era parente.

Hino de Itaperuna


Minha cidade querida
Cheia de encantos sem par,
Floresce em ti minha vida,
Meus belos sonhos, meu lar
Amo-te e sempre hei de amar
Tudo o que fala de ti.
Ouço a voz do teu rio
Murmurante no arrepio do vento a cantar!
Amo a suave carícia
Do teu sublime luar.
Tudo aqui fala de sonho
E a gente fica a sonhar.
Quero viver na delícia
Destes teus campos em flor.
Itaperuna, em ti ponho
Todo o meu sonho de amor.

Letra e música de Mª Catharina Pinto

Brasão de Itaperuna




Descrição
O atual brasão heráldico do Município de Itaperuna foi instituído pela Deliberação no- 1531 de 27 de setembro de 1968, no governo do prefeito Orlando Tavares e sua descrição original foi publicada no jornal O Regional daquela data.

Escudo clássico partido. Na primeira faixa, de ouro, um monte de sable (negro) carregado de uma cruz latina de prata, orlado, no chefe e nos flancos de sete triângulos de blau (azul). Na segunda faixa, de goles, uma armadura de couro torcido, atravessada pôr duas flechas em aspa, tudo em ouro Partido de sinople (verde) com uma cabeça de boi de ouro e, em contra chefe, uma faixa de prata ondada de blau (azul). Como suportes, a destra (direita) um feixe de espigas de arroz de ouro e a sinestra (esquerda) um ramo de café frutado nas suas cores naturais. Abaixo do escudo, listel de prata com a inscrição – Itaperuna, de goles (vermelho) e as datas 1536 – 1589. Em cima do escudo, coroa mural de prata, com cinco forres, símbolo de cidade.

Explicação
É escudo clássico, sanítico ou francês, usado em heráldica no sentido de dar idéia de masculinidade: povo, país, chefe de Estado, cabeça de linhagem, chefe de família, conforme Gustavo Barroso, in introdução a Técnica de Museus, volume II, Rio, 1953.

Quanto aos metais e esmaltes empregados no escudo (ouro, prata, blau ,goles, sinople, e sable) são representativos dos valores históricos, culturais, ecológicos; além de riquezas do Município. O monte de sable (negro) evoca à própria denominação do Município que, segundo estudiosos da tupinologia, significa Pedra Preta denominação que bem lhe cabe devido ao gnaisse negro sobre o qual assenta a povoação, ou como tapir-una ou tapir negro, designação correspondente à Pedra Elefantina nos limites de Minas Gerais com o município, de lambadas polidas e negras fazendo lembrar o dorso de uma anta, conforme atesta Alberto Ribeiro Lamego, in O Homem e a Serra, Rio, 1950, p. 290. A cruz latina lembra as origens cristãs da antiga povoação. Os sete triângulos em blau que orlam o chefe e os flancos do monte representam cada um dos sete distritos itaperunenses (1- Aré; 2- Boa Ventura; 3- Comendador Venâncio; 4- Itajara; 5- Nossa Senhora da Penha; 6- Raposo e 7- Retiro do Muriaé).

A armadura de couro torcido em forma de gibão atravessado por duas flechas em aspas rememora a fase do desbravamento e ocupação do território, destacando o trabalho destemido do bandeirante e a presença dos índios Puris, os primitivos habitantes de Itaperuna. A cabeça de boi evoca a pecuária como uma das principais atividades econômicas do Município. A faixa de prata ondada da blau (azul) simboliza o rio Muriaé, que nasce no Estado de Minas Geras, e tem, no Município, alguns importantes afluentes e quedas d’água. O ramo do café e o feixe com espigas de arroz que aparecem como suportes de escudo evocam dois dentre os principais produtos agrícolas de importância para a economia de Itaperuna. A data 1536 rememora a época em que a região fazia parte da Sesmaria doada a Pedro Góis da Silveira e, 1889 lembra que no dia 4 de julho Itaperuna elegia a primeira câmara republicana da História do Brasil e que no dia 6 de dezembro daquele mesmo ano de 1889 era elevada à categoria de cidade, daí a coroa mural de prata com cinco torres.

Prefeitos de Itaperuna

De 1889 até 1916 o poder executivo era exercido pelo Presidente da Câmara.
1889 – Francisco de Assis Ribeiro dos Santos
1890 – Dr. José Baptista da Costa Azevedo
1890 – Dr. João Braga
1891 – Salustiano Antônio Nunes
1892 – Francisco de Assis Ribeiro dos Santos
1893 a 1896 – João Antônio Alves de Brito
1897 – Joaquim José Vieira
1898 a 1899- Coronel Macário Garcia de Freitas
1900 – Acácio de Araújo Pereira Torres
1901 a 1905 – Dr. Antônio Barbosa Buarque de Nazareth
1906 – Coronel Macário Garcia de Freitas
1907 – Dr. Antônio Barbosa Buarque de Nazareth
1907 a 1910 – Coronel Antônio Ferreira Rabelo
1911 – Custódio Gonçalves Vieira
1912 a 1919 – Dr. Antônio Barbosa Buarque de Nazareth.

A partir de 1916 o poder executivo passou a ser desempenhado pelo Prefeito, que seria nomeado pelo Presidente do Estado até 1921.

Os prefeitos que exerceram seu mandato neste período são:

1916 Dr. Manoel Paes de Azevedo.
1917 a 1918 Engenheiro Aristides Figueiredo Tancredo Lopes
1919 a 1923 Engenheiro Alberto Calvet

Durante o governo de Albert Calvet, os prefeitos passaram a ser eleitos por sufrágio direto, portanto, este foi o 1º Prefeito eleito deste Município. Para Substituí-lo foi nomeado o interventor Coronel Manoel Teixeira de Oliveira. Com a demissão deste, foi nomeado o Coronel José Garcia de Freitas em 1923, que exerceu esse cargo até a posse do Prefeito eleito.

Prefeito que foram eleitos por sufrágios populares:

1924 a 1927 Otávio de Almeida
1927 a 1929 Alfredo Ribeiro Portugal
1930 Coronel Balbino França Junior

Com a Revolução vitoriosa de 1930, subiu ao poder o Dr. Getúlio Vargas e o município passou a ser dirigidos por interventores:

1931 a 1933 Engenheiro Sadi S. Pinto.
1933 a 1935 Engenheiro Mário Pinheiro Motta

Em 1935, já com o pais constitucionalizado, volta o mandato de Prefeitos:

1935 Coronel Luiz Ferraz
1936 Major Briolanjo Marmonde Nogueira (comissionado)
1936 a 1939 Coronel Romualdo Monteiro de Barros

No governo do Coronel Romualdo de Barros, houve o golpe de Estado em 1937, mas ele foi confirmado no cargo de Interventor.

1939 Emil de Roure Silva (substituto)
1940 a 1944 Dr. Raul Travassos da Rosa
1944 Agenor da Rocha Silva (substituto)
1945 José Cunha da Gama e Abreu (substituto)
1945 Rui Barbosa Pinto (substituto)
1945 Tenente José Braz Soares
1946 José Cunha da Gama Abreu (substituto)
1946 Amadeu Tinoco de Lacerda
1947 José Moreira Bastos Filho

Em 28 de setembro de 1947, o país estando novamente constitucionalizado. Os prefeitos voltam a ser eleitos:

1947 a 1950 Dr. Moacir de Paula
1950 a 1954 Dr. José Bruno Garcia da Silveira
1954 Milton Freitas de Oliveira
1954 a 1958 José Carneiro Terra
1959 a 1962 José Cerqueira Garcia
1962 Orlando Tavares (substituto)
1963 José Cerqueira Garcia
1963 a 1967 Ary Moreira Bastos
1967 a 1971 Orlando Tavares
1971 a 1973 Rubens Vieira Leite
1973 a 1977 Cláudio Gouveia Goulart
1977 a 1983 Orlando Tavares
1983 a 1988 Cláudio Cerqueira Bastos
1989 a 1992 Péricles Ferreira Olivier de Paula
1993 a 1996 Cláudio Cerqueira Bastos
1997 a 2000 Péricles Ferreira Olivier de Paula
2001 a 2004 Péricles Ferreira Olivier de Paula
2005 a 2008 Jair de Siqueira Bittencourt Junior
2009 a 2011 Cláudio Cerqueira Bastos
2011 a 2012 Fernando Paulada
2013 a 2016 Alfredão

2017 a 2020 Dr. Marcus Vinicius

INFORMAÇÕES DA CIDADE

Datas Comemorativas

Aniversário da Cidade – 10 de Maio
Dia de São José (padroeiro da cidade) – 19 de Março
Festa de aniversário da CAPIL – Final de Setembro
Festa do Clube do Cavalo – Início de Abril
Festa dos Carros de Boi – Último fim de semana de Maio

Telefone Úteis

AMPLA: 3824-1155
APAE: 3824-4566
Associação Comercial e Empresarial: 3824-5949
Bombeiros: 193
Câmara Municipal de Itaperuna 3824-1263
CEDAE: 3822-1910
Clínica São Camilo de Lélis: 3823-2100
Defesa Civil: 3822-0193
Defesa do Consumidor: 3824-4556
Delegacia de Polícia: 3822-0190
Disque AIDS/Associação Viver: 3822-0471
Disque Denúncia: 3822-1177
Hora Certa: 130
Hospital das Clínicas: 3824-1711
Hospital São José do Avaí: 3824-9200
Instituto Médico Legal: 3822-0594
Polícia Militar: 190
Prefeitura Municipal de Itaperuna: 3811-1050
PROCON: 3824-7740
Pronto Socorro: 192
Receita Federal: 3822-1831
Serviço Despertador: 134
Solicitação de Conserto Telemar: 103
Solicitação de Serviço Telemar: 104
Tarifas Interurbanas: 108

Turismo

Águas de Raposo
Águas do Avaí
Águas do Cubatão
Cachoeira da Fumaça
Cachoeira da Floresta
Cristo Redentor
Fazenda São Domingos
Festa de Maio
Festa do Carro de Boi
Ilha Itapuã Clube
Ilha Cysne Clube
Pista de Parapente do Morro do Cristo
Polo das Confecções
Rio Carangola
Rio Muriaé
Vale Campestre
Vista Paranorâmica (A partir do Cristo Redentor)