04/01/17 - Itaperuna Notícias

Últimas

Post Top Ad

sábado, abril 01, 2017

Contas de energia elétrica terão bandeira tarifária vermelha em abril

sábado, abril 01, 2017
No mês de abril, os consumidores de energia elétrica vão pagar R$ 3 a mais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. É que no próximo mês vai vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que é usada quando é preciso acionar usinas termelétricas mais caras, por causa da falta de chuvas.

É a primeira vez neste ano que a bandeira vermelha é ativada. Em março, a bandeira tarifária em vigor foi a amarela, com adicional de R$ 2 para cada 100 kWh e, anteriormente, a bandeira era a verde, sem custo extra para o consumidor.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o uso consciente. As cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

Como funcionam as bandeiras

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. Nesse caso, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas.

Fonte: Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil
SAIBA MAIS >

Rio quer vacinar toda a população contra febre amarela este ano, diz secretário

sábado, abril 01, 2017
O secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira, afirmou, após reuniões técnicas com representantes do Ministério da Saúde, que o governo do Rio não abrirá mão de vacinar toda a população fluminense, de cerca de 12 milhões de pessoas, contra a febre amarela até o fim deste ano.

Para que isso ocorra, a secretaria estima que serão necessários de 8 milhões a 9 milhões de novas doses, além de 3,6 milhões já disponibilizadas para as 92 prefeituras do estado.

Dados divulgados nessa sexta-feira (31) pelo governo do Rio mostram que entre os 64 municípios que integram a lista de cidades prioritárias para a imunização, 44 já têm as doses necessárias para a vacinação de seus habitantes.

A lista de municípios prioritários é feita pela secretaria com base na avaliação constante do cenário epidemiológico do Rio e de estados vizinhos, como Minas Gerais e o Espírito Santo.

O secretário de Saúde defende o “uso racional” da vacina, o que significa que os esforços iniciais devem proteger a população que vive em áreas consideradas de maior vulnerabilidade.

“Começamos com o cinturão formado pelas cidades localizadas nas divisas com Minas Gerais e o Espírito Santo, que já têm comprovação da circulação do vírus. Com a evolução do cenário epidemiológico, ampliamos nossa estratégia e, atualmente, temos 64 municípios prioritários. Agora, estamos disponibilizando novos lotes para esses municípios, além de destinar parte da nova remessa para reposição em outras cidades do estado”, diz o secretário em nota.

Segundo Teixeira, é importante que, fora das cidades prioritárias, sejam imunizadas as pessoas que planejam viajar para áreas consideradas de risco.

Estratégia

A Secretaria Estadual de Saúde esclareceu ainda, na nota, que a estratégia de vacinação em cada cidade deve ser definida por cada uma das 92 prefeituras, observando a disponibilidade de doses pelo Ministério da Saúde, a capacidade operacional - como o número de postos e de pessoal capacitado para o trabalho -, além do armazenamento correto das doses, para que não haja perda de vacinas.

Para apoiar os municípios prioritários, a secretaria fez parceria com o Corpo de Bombeiros e com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) a fim de que os agentes de saúde possam chegar às áreas rurais mais distantes e de difícil acesso. Em Casimiro de Abreu, município onde foram confirmados os primeiros casos da doença no Rio, foi montado um hospital de campanha, que imunizou mais de 6 mil pessoas em 48 horas.

Balanço

O último balanço divulgado ontem à noite pela Secretaria de Saúde indicava que o número de casos confirmados de febre amarela silvestre no estado chegava a nove. Desses, sete casos ocorreram no município de Casimiro de Abreu, com uma morte. São Fidélis registrou um caso, São Pedro da Aldeia também um, sendo que o paciente contraiu a doença em viagem à zona rural de Casimiro de Abreu.

Em duas localidades, São Sebastião do Alto e Campos dos Goytacazes, foram confirmados dois casos da doença em macacos.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde orienta os municípios para que deem prioridade à população que vive em áreas próximas a matas e zonas rurais.

Fonte: Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil
SAIBA MAIS >

Secretaria de Educação de Itaperuna sedia o 1° Encontro Regional de Dirigentes Municipais da UNDIME-RJ

sábado, abril 01, 2017
A Secretaria de Educação de Itaperuna esteve participando, nesta sexta-feira (31), do encontro com a União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação (Undime) que tem o objetivo de apresentar programas e discussões para o fortalecimento das gestões da rede municipal de ensino.

O encontro aconteceu durante todo o dia na Câmara Municipal de Itaperuna. Com representantes de 18 municípios das regiões norte e noroeste do Estado do Rio.

A UNDIME é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em 1986 e com sede em Brasília/ DF e tem por missão articular, mobilizar e integrar os dirigentes municipais de educação para construir e defender a educação pública com qualidade social.

"Estou muito honrado de sediar esse encontro na nossa cidade e ver o empenho de toda nossa equipe", disse o secretário de educação de Itaperuna, Prof. França Bombeiro.

Fonte: DECOM
SAIBA MAIS >